Portal do Governo Brasileiro

História do CTISM

O CTISM iniciou sua trajetória como Escola Técnica no final dos anos 1960, quando a UFSM já contava com vários cursos superiores. Entretanto, a cidade apresentava uma lacuna na oferta de cursos técnicos de nível médio. Assim, o então reitor, José Mariano da Rocha Filho, tomou a iniciativa de criar, em 1963, o Colégio Agrícola, e, em 1967, o Colégio Técnico Industrial, que começou a oferecer os cursos técnicos de Eletrotécnica e de Mecânica articulados ao Ensino Médio com duração de três anos.

O primeiro diretor do CTISM, Mário Guagliotto, em entrevista por ocasião da comemoração do trigésimo aniversário do colégio, referiu-se, dessa maneira, ao chamado do reitor em questão para que se iniciassem as atividades do colégio:

"Entrei no Gabinete e fiquei meio perplexo quando me falou em Colégio Industrial, e eu seria o diretor; que providenciasse o seu funcionamento o quanto antes e tomasse todas as providências para isso. Como eu invocasse que não era a minha área na universidade, ele logo me disse que precisava de um educador, e não de um técnico. Depois de muitos prós e contras, saí do Gabinete com o encargo de fazer funcionar o Colégio Técnico Industrial."

Ao completar 50 anos de atividade, o CTISM, cresceu exponencialmente em número de cursos e de alunos, em infraestrutura e em recursos humanos. Atualmente, conta com 19 cursos. Sete deles são técnicos subsequentes na modalidade presencial e quatro na modalidade EaD. O CTISM possui ainda três cursos técnicos integrados ao Ensino Médio na modalidade presencial, um curso na modalidade EJA articulado à Educação Profissional (Proeja); três cursos superiores de graduação e um curso de mestrado.

A previsão para 2017 é de 1.380 alunos, 87 docentes e 44 técnico-administrativos em educação. A área total construída é de 10.779,47 m².