Portal do Governo Brasileiro
Vários objetos fabricados com a tecnologia de impressão 3D.

A tecnologia de impressão 3D é utilizada no ensino do CTISM. Segundo o professor Gilmar Vogel, o uso da técnica ainda deve ser expandido nos próximos anos, mas a impressora situada no Laboratório de CNC (Comandos Numéricos Computadorizados) do Pavilhão de Máquinas 1 já é usada para a produção de objetos que permitem aos alunos de Fabricação Mecânica, por exemplo, visualizar peças e ferramentas de disciplinas de Mecânica.

Impressora 3D no Pavilhão de Máquinas 1.

A impressão 3D é uma tecnologia que usa a adição de camadas de material para fabricar peças e objetos de praticamente qualquer formato. A impressora do CTISM é do modelo Stratasys 3D uPrint SE Plus e está há um ano no Pavilhão de Máquinas.

Para exemplificar a maneira como a impressora é usada atualmente, Gilmar mostra à reportagem uma réplica de plástico de uma pastilha de usinagem – ferramenta utilizada para moldar peças de aço. Segundo o professor, a réplica permite aos alunos conceber o formato e o funcionamento da ferramenta antes de partir para a prática.

À esq., Gilmar mostra réplica de pastilha de usinagem. A parte em branco é removida. À dir., projeto da pastilha feito em softwares para guiar a impressora.
Miniatura de reservatório agrícola fabricada por processo de impressão 3D.

Mas a intenção é ampliar a presença da impressão 3D no ensino, e também utilizá-la em atividades de pesquisa e extensão. De acordo com Gilmar, a tecnologia deve ganhar espaço no Projeto Político-Pedagógico do curso de Fabricação Mecânica para que os alunos estudem a impressão 3D como mais um processo de produção de peças.

O professor explica que, entre as vantagens da impressão 3D, está a possibilidade de visualizar o produto que pretende se desenvolver e testar seu funcionamento. Como exemplo, Gilmar mostra à reportagem uma miniatura de um reservatório agrícola feita em uma impressora 3D. A partir da miniatura, é possível identificar possíveis problemas no funcionamento do reservatório

Segundo Gilmar, o CTISM deverá utilizar a impressão 3D, no futuro, como instrumento de pesquisa – a partir do uso da tecnologia em áreas como medicina e agricultura – e extensão – com a fabricação de produtos para a demanda externa.

 

por Rossano Villagrán Dias

revisão Gisele Holzschuh

fotos Rossano Villagrán Dias