Portal do Governo Brasileiro
Os estudantes Glauco, Thiago e Monise com banner do BusWay na Feisma.

Um projeto desenvolvido por alunos do CTISM estava entre os sete selecionados para ser apresentado a avaliadores em uma das categorias do Perfil Empreendedor, da RBS TV, em novembro, na Feisma – a maior feira de indústria, comércio e serviços de Santa Maria. Mais de 50 projetos concorriam na categoria de ensino médio.

O projeto trata de um aplicativo chamado BusWay, que informaria ao usuário a localização em tempo real de cada ônibus da cidade e se possuem acessibilidade para cadeirantes ou não. A ideia foi desenvolvida pelos alunos Glauco Raddatz, Monise Simões Taschetto e Thiago Alves dos Reis, da turma 432 (3º ano de Mecânica Integrado ao Ensino Médio), sob orientação do professor Gerônimo do Amaral.

O docente relata que os estudantes já haviam tido a ideia do app antes de planejarem inscrevê-la no Perfil Empreendedor – concurso que estimula projetos inovadores nas escolas. O trio identificou que, em Santa Maria, os usuários do transporte público podem saber apenas os horários previstos para o início e o término das linhas de ônibus.

No BusWay, o usuário poderia saber com exatidão se o ônibus já passou ou não em sua parada. Ele selecionaria a linha desejada e veria o local de cada veículo em tempo real em um mapa da cidade.

O aplicativo informaria ainda quais ônibus possuem acessibilidade para cadeirantes ou não. Em Santa Maria, os cadeirantes não têm como saber se o veículo que esperam é ou não adaptado para sua necessidade. Segundo Gerônimo, 25% dos ônibus da cidade são acessíveis a eles.

De acordo com o projeto, o rastreamento dos veículos seria possibilitado por um smartphone carregado pelos cobradores.

Na opinião do professor, os alunos tiveram “uma experiência quanto ao mundo real”, pois tiveram a oportunidade de receberem observações de especialistas sobre seu projeto, o que “auxiliará os alunos nas tomadas de decisões futuras em suas vidas”. Gerônimo destaca também que os estudantes “estão ajudando na melhoria da sociedade, sem a dependência do estado”.

 

por Rossano Villagrán Dias

foto Arquivo pessoal